Quando o mundo abandonar o meu olho,

Quando o meu olho furado de belezas for

Esquecido pelo mundo.

Que hei de fazer?

Quando o silêncio que grita do meu olho não

For mais escutado.

Que hei de fazer?

Que hei de fazer se de repente a manhã voltar?

Que hei de fazer?

– Dormir, talvez chorar.

(Manoel de BarrosRetrato do artista quando coisa)